20/05/2008, Quarta-feira
Governo do Ceará
Acesso a Informação

Telefones úteis

Rede Social

  • EducacaoCeara
  • seducceara
  • seducceara
  • Instagram da SEDUC
  • Flickr da SEDUC
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto

Notícias

Seduc, Ministério Público e TDH comemoram resultados do Projeto de Mediação e Práticas Restaurativas

IMG 4154

O fortalecimento da cultura de paz dentro das escolas é fundamental para a consolidação da educação. Além dos saberes cognitivos, é preciso aprender a conviver em sociedade, a respeitar o diferente e, também, a solucionar conflitos. A partir desta premissa, a Secretaria da Educação (Seduc), em parceria com a ONG Terre des Hommes (TDH) e com o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), deu início ao Projeto de Mediação e Práticas Restaurativas em escolas da rede estadual. Para reconhecer o trabalho desenvolvido até então pela iniciativa e dar início a uma nova fase nas ações, foi realizado um encontro celebrativo envolvendo as três instituições parceiras, nesta terça-feira (12), contando com a participação também de gestores e estudantes das quatro escolas estaduais envolvidas no projeto, que receberam certificados de Escolas Promotoras da Paz.

Estiveram presentes na cerimônia, ainda, a secretária adjunta Marcia Campos, a coordenadora de Práticas Restaurativas, Mediação Social e Cultura de Paz da Vice-Governadoria do Estado, Cristiane Holanda, a promotora de Justiça Elizabeth Almeida e a diretora do Programa de Justiça Restaurativa da TDH, Lastênia Soares.

Na avaliação do estudante Riquelme Alves, de 15 anos, que é presidente do Grêmio Estudantil da Escola Matias Beck, os casos de desentendimentos no ambiente escolar diminuiram de forma significativa após a implementação do projeto. "É uma maneira diferente de resolver conflitos. Evitamos, inclusive que as situações se agravassem e tomassem outra dimensão fora do espaço da escola. Muitos alunos que procuraram a mediação reconciliaram-se e chegaram a construir amizades a partir disso. Vejo como um divisor de águas, que merece estar em todas as escolas", considera o jovem, que participou de um curso de facilitadores para a mediação promovido pela escola.


Trabalho conjunto

IMG 4143A secretária adjunta Marcia Campos ressalta a importância de se construir parcerias para desenvolver projetos. "Não temos respostas para tudo, e os parceiros nos auxiliam nos diversos desafios que temos", lembra. A gestora também enfatiza a preocupação que a Secretaria tem tido de fortalecer as competências socioemocionais dos jovens. "É importante estar em paz consigo  mesmo, aceitar os outros e a si mesmo. Temos que ser pacificadores, estar no meio das pessoas apagando o fogo, atuando de maneira construtiva", defende Marcia.

Lastênia Soares, diretora do Programa de Justiça Restaurativa da TDH, entende que a mediação tem a característica não só de reverter situações de conflito já geradas, como também, de evitar episódios de desavença. "Que a educação, enquanto política pública, priorize essa técnica de resolução positiva de conflitos. A mediação é uma ferramenta que complementa a prática pedagógica, cuidando do bem-estar, da segurança, da convivência saudável. A participação dos alunos nesse processo é muito importante, e o protagonismo juvenil traz mudanças positivas não só na escola, mas na comunidade. Temos uma grande satisfação pela parceria que foi constituída", salienta Lastênia.

A iniciativa ocorre, atualmente, nas Escolas Matias Beck, Senador Osires Pontes, Santo Amaro e Murilo Borges, todas de Fortaleza. O objetivo é que, gradativamente, as demais unidades de ensino da rede estadual passem a contar com esta ação, com núcleos de mediação compostos por estudantes, professores e gestores.


Célula

Um dos pontos altos da parceria foi a implantação da Célula de Mediação Social e Cultura de Paz na Seduc, no âmbito da Coordenadoria de Desenvolvimento da Escola e da Aprendizagem (Codea/Protagonismo Estudantil), em outubro de 2016.

Valdenice Gomes, coordenadora da Escola Senador Osires Pontes, lembra que o projeto trouxe uma nova percepção de como agir diante de situações de hostilidade. "Antes, a nossa maneira de lidar com os conflitos na escola era punindo o aluno, mas não havia um retorno positivo por parte dele. Com a mediação, isso mudou. No círculo de conversa, as pessoas soltam os sentimentos, dizem abertamente o que as incomoda e aliviam-se. E aqueles que provocaram o mal estar, caem em si, reconhecem que machucaram alguém e que precisam desfazer isso. As pessoas estão se mostrando mais sensíveis", observa.

A promotora de Justiça Elizabeth Almeida, do MPCE, salienta a importância do diálogo para a construção de uma sociedade menos violenta e mais justa. "Não se pode tratar agressão com agressão. Fomos criados numa sociedade em que é considerado valente quem grita mais, quem bate mais. E valente mesmo é quem não afronta, quem tem equilíbrio e inteligência emocional. Precisamos de uma mudança de paradigma. Todas as pessoas ainda têm um lado violento, e a cultura de paz tem que ser introjetada em todos nós", aponta, lembrando que o Ministério Público tem um trabalho voltado para escolas chamado "conte até dez, valente mesmo é quem não briga".

Cristiane Holanda, coordenadora de Práticas Restaurativas, Mediação Social e Cultura de Paz da Vice-Governadoria do Estado, sinaliza que esta metodologia precisa ser preservada e ampliada, a fim de que os resultados continuem a ser positivos. "Temos o sonho comum de ver esse projeto acontecendo em cada escola do Ceará. Vocês são os primeiros alunos, que estão na frente, sinalizando o caminho para os demais, dando o exemplo. Já vi círculos de mediação conduzidos por alunos e fiquei emocionada", revela.





12.09.2017
Assessoria de Comunicação da Seduc
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Calendário

Setembro 2017
D S T Q Q S S
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

SEDUC - Secretaria da Educação do Ceará - Av. Gen. Afonso Albuquerque lima, s/n - Cambeba - Fortaleza - Ceará | CEP: 60.822-325

Ver localização no mapa © 2008 - Governo do Estado do Ceará. Todos os Direitos Reservados