Coleção de livros Educação do Ceará em Tempos de Pandemia é lançada

4 de outubro de 2021 - 20:57

Bruno Mota - Texto
Tiago Stille - Fotos

Material apresenta um panorama das vivências de professores, alunos e gestores escolares durante a pandemia e também está disponível no site da Seduc

O Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Educação (Seduc) e do Programa Mais Infância Ceará, lançou nesta segunda-feira (4) a coleção Educação do Ceará em Tempos de Pandemia. A solenidade foi realizada na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (Bece), com a presença da primeira-dama Onélia Santana e da secretária da Educação, Eliana Estrela.

A publicação dos livros teve apoio institucional do Instituto Unibanco (IU) e contou com parceria técnica da Editora da Universidade Estadual do Ceará (EdUece). Também estiveram presentes no evento o superintendente executivo do IU, Ricardo Henriques; a presidente do Conselho Estadual de Educação do Ceará, Ada Pimentel; a presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais da Educação – secção Ceará (Undime-CE), Luiza Aurélia Costa; e o deputado federal Idilvan Alencar.

A coleção apresenta um panorama das vivências de professores, alunos e gestores escolares durante a pandemia, contextualizando os impactos da covid-19 e as ações da Seduc para adequar a rotina de trabalho dos profissionais, no intuito de preservar a aprendizagem dos estudantes.

O conjunto de obras é composto por 95 artigos e relatos de experiências, organizados em três volumes temáticos. O primeiro aborda estratégias de gestão escolar. O segundo apresenta medidas adotadas nas redes municipais, valorizando o regime de colaboração praticado no Ceará. E o terceiro traz pontos de vista acerca da docência, com destaque para as novas formas de ensinar e de aprender na rede pública estadual.

A coleção também ficará disponível no site da Seduc

Legado

Onélia Santana prevê a geração de impactos positivos na Educação cearense com a disponibilização das obras. “Não estávamos preparados para enfrentar uma pandemia. Esta é uma conquista importante e hoje se torna um dia histórico, porque simboliza uma superação das dificuldades vivenciadas durante estes tempos desafiadores. É um orgulho fazer parte da equipe de produção deste material pedagógico. Agradeço o empenho de todos os que concorreram à seleção de artigos”, destaca.

Eliana Estrela lembra que durante o período de pandemia os educadores tiveram que se reinventar para dar continuidade ao trabalho. “Pensamos que seria importante construir algo neste momento para que, no futuro, fosse possível saber de que forma a educação cearense passou por essa experiência. Lançamos editais para permitir a participação de professores e tivemos muitas inscrições, o que evidencia a confiança e a credibilidade dada pelos educadores cearenses a esta iniciativa”, ressalta.

Ao todo, foram contemplados trabalhos de 297 autores e coautores, entre diretores, coordenadores das Regionais da Educação, servidores, orientadores, professores das redes estadual e municipal, formadores da Educação Infantil, entre outros atores.

Luiza Aurélia Costa também enaltece as produções. “O material é riquíssimo. Nestes artigos estão a nossa vontade de ousar e fazer diferente, para que o Ceará continue a ser a Terra da Luz”, pontua.

Conquista

Na visão de Ricardo Henriques, as publicações demonstram o poder de resiliência dos educadores do Ceará. “Destacamos a preocupação com o acolhimento das pessoas, durante a passagem de um momento devastador. Isso expressa a capacidade de transformar uma experiência negativa em conhecimento, exatamente quando tanto precisamos. O Ceará está no caminho certo”, pondera.

Idilvan Alencar frisa a importância de se refletir sobre o que foi vivido, com uma subsequente tomada de iniciativa. “A equipe da Seduc é unida e isso é o que faz a Educação do Ceará ter bons resultados. Aqui, a história da superação da pandemia está sendo contada sob vários olhares”, avalia.

Os livros trazem prefácio do governador Camilo Santana; apresentações da vice-governadora Izolda Cela, de Eliana Estrela e de Ricardo Henriques; além de posfácios de Onélia Santana, Idilvan Alencar e do ex-secretário da Educação, Rogers Mendes.